Morte no Nilo - Agatha Christie

07:00


Morte no Nilo é mais um livro da Agatha Christie com o Hercule Poirot como protagonista, desvendando um super crime em viagem. Esse é um livro que se destaca, por ter uma trama mais densa e bem elaborada, mas no entanto, não é um dos desfechos mais inimagináveis, não.


Posterguei muito pra fazer essa resenha, porque esse é um livro um tanto complicadinho. Diria que ele é denso, porém, fácil de se desvendar quem é o assassino e o porquê.

Nele conhecemos Linnet Ridgeway, uma jovem milionária que vive em Londres e que perdeu os pais muito cedo. Linnet sempre foi acostumada a ter tudo o que queria, inclusive as pessoas, então, ela não importa nem um pouco em "roubar" o noivo de sua melhor amiga.


Porém, talvez esse ato falho venha a lhe custar muito em um futuro próximo, sendo esse o gancho pra os destinos dela e de Hercule Poirot se cruzarem. Linnet acaba se casando com o noivo da amiga e decide fazer uma viagem pelo Egito. Paralelo a isso, em Nova York, um de seus advogados fica sabendo do casamento repentino e do destino da viagem de lua de mel da moça e resolve acompanhá-la, na esperança de talvez por um fim no casamento.

O livro começa a se agitar e toda a história ganha os contornos típicos dos livros da Agatha quando todos os personagens centrais do crime, se encontram em um hotel na cidade de Assuan.


Com a chegada de Poirot ao hotel, todos começam a se animar e se agitar, afinal, onde Poirot chega, há sempre um crime, né? Porém, a presença do detetive é abafada com a chegada de Linnet e seu marido, Simon Doyle, mas a história fica mais quente porque além deles dois, a ex de Simon e amiga de Linnet, também chega ao hotel, roubando a paz do casal.

Desde que Linnet e Simon assumiram a relação e casaram-se, Jaqueline vem os perseguindo e fazendo ameaças contra a vida dos dois. Porém, Linnet desacredita que ela seja capaz de fazer algo contra ela ou a Simon, mas as coisas nessa viagem vão ficando mais intensas e alguns mistérios começam a acontecer.


O livro é bem intenso, principalmente quando todos embarcam rumo ao Nilo. Essa viagem será decisiva pra muitas pessoas e alguns fatos exigiram muito da inteligência de Poirot para serem lucidados. É uma trama com muitos personagens, algumas histórias paralelas densas e tensas e muitos dos passageiros do navio possuíam motivos particulares para cometer o crime em questão: assassinar Linnet Doyle.

A uma das surpresas é que não ocorre apenas um assassinato, mas três ou quatro, se levar em consideração o desfecho. Essa é mais uma típica história de tirar o fôlego e fazer refletir sobre a força dos nossos atos e desejos, mensurando o quanto eles podem interferir no nosso destino.

Gostei muito de Morte no Nilo e ele se tornou um dos meus livros favoritos, pois, foi o primeiro que eu consegui meio que "desvendar" quem havia matado Linnet, porém, o tempo todo ele te surpreende e assim como Morte na Mesopotâmia, esconde em cada capítulo os contornos de uma trama mirabolante e extremamente complexa.


Beijos,


Laly Oliveira

Post Relacionados

0 comentários